Reuniões Clínicas
Discussão de casos clínicos entre os integrantes da Escola.
Como trabalha um psicanalista?
O que dá consistência a essa prática?
Na prática, para que serve a teoria?
Escrever e falar da clínica é uma aposta no sentido de fazer circular essas (e outras) perguntas, no trabalho daqueles que ainda que se autorizem a ocupar na transferência esse lugar, o de sujeito Suposto saber, sabem que o saber esse que lhes é endereçado, é suposto, e não sufocaram o espaço das suas perguntas.
Considerando o tripé necessário à formação dos psicanalistas, que seja sustentado por: análise pessoal, estudo sobre a teoria além do diálogo com áreas afins tais como a literatura, a linguística, a filosofia e, supervisão clínica, considera-se a escrita e, especificamente a escrita sobre a clínica, parte importante dessa formação.
Se partirmos do pressuposto do nosso trabalho enquanto analistas, encontrar-se situado justamente no espaço onde se perfigura a letra inconsciente, o ato de escrever se definirá como indispensável na nossa prática clínica cotidiana.
Ademais, a possibilidade de interlocução necessária a qualquer área do saber, torna-se combustível indispensável na prática analítica, em face não só da sua singularidade como também da solidão que tal ofício impõe.
O diálogo com os pares, outros que desempenham a mesma função, implica cada um desses que se dispõe a expor a sua maneira de trabalhar, favorecendo que possa “se ouvir” na sua escuta e refletir sobre a sua prática.
Esse modo de proceder busca evitar que se possa “ser surpreendido pela transferência”, que os pontos cegos na análise do analista interfiram o menos possível na direção das análises das quais se ocupa, e, sobretudo, que possam circular as perguntas que se faz acerca da sua prática em relação à teoria, além é claro de dar testemunho da eficácia da sua prática.
Nossas reuniões para as sessões clínicas acontecem sempre às segundas-feiras, às 20;00h, a cada três meses: junho, setembro e novembro de 2006. Esse encontro será restrito aos membros da instituição.